Tags

, , , , , ,

Entrou em vigor no dia 05.07.2012 o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (SINESP). Regulado pela Lei 12.681/2012 (consulte a íntegra aqui), o SINESP visa a “armazenar, tratar e integrar dados e informações para auxiliar na formulação, implementação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas relacionadas com: I – segurança pública; II – sistema prisional e execução penal; e III – enfrentamento do tráfico de crack e outras drogas ilícitas” (art. 1.º).

Entre as mudanças promovidas pelo novo diploma está a alteração do parágrafo único do art. 20 do Código de Processo Penal, cuja redação anterior era: “Nos atestados de antecedentes que lhe forem solicitados, a autoridade policial não poderá  mencionar quaisquer anotações referentes a instauração de inquérito contra os  requerentes, salvo no caso de existir condenação anterior”.

A Lei 12.681/2012 suprimiu a parte final desse dispositivo (“salvo no caso de existir condenação anterior”), de forma a proibir à autoridade policial qualquer alusão a inquérito policial instaurado contra o solicitante do atestado. Eis a atual redação do art. 20, parágrafo único, CPP: “Nos atestados de antecedentes que lhe forem solicitados, a autoridade policial não poderá mencionar quaisquer anotações referentes a instauração de inquérito contra os requerentes“.